“Agora vai aparecer um monte de babaca pra falar merda. Foda-se”. A frase é de Neymar, publicada no Instagram diretamente das férias, logo depois da derrota para o Peru que encerrou a participação do Brasil na Copa América.

Pela terceira vez seguida a seleção brasileira não conseguiu sequer chegar às semifinais do torneio. Eliminada duas vezes nas quartas de final pelo Paraguai (2011 e 2015), desta vez caiu ainda na primeira fase, depois de não conseguir marcar um gol sequer contra Equador e Peru e, embora tenha goleado o Haiti, foi o único time da chave a sofrer um gol da pior seleção do torneio.

Desabafo de Neymar no Instagram

Desabafo de Neymar no Instagram depois da derrota do Brasil para o Peru

Quem são os babacas e que merdas eles dirão?

Babacas são as pessoas que ainda optam por perder um pouco da sua noite de sono para assistir a uma partida da seleção? Ou babacas são os jornalistas que criticarão o time? Estará falando merda quem disser que o Brasil é sexto colocado nas Eliminatórias depois de seis jogos disputados? Ou quem lembrar o retrospecto recente do time que levou sete gols em casa numa semifinal de Copa do Mundo? Talvez aqueles que lembrem que foi a pior campanha da seleção na história da Copa América?

Entre as merdas que afirma que serão ditas, Neymar inclui as declarações de seu chefe, que reclamou do gol ilegal peruano sem se lembrar que foi com ajuda da arbitragem que o Brasil evitou uma derrota para o Equador? Dunga teve 180 minutos contra duas seleções medianas (ou nem isso, no caso do Peru) e seu time não conseguiu fazer um gol. O erro no jogo de domingo não teria influência alguma se a seleção tivesse feito ao menos um gol contra a 48ª colocada do ranking da Fifa. Teve atitude passiva diante do péssimo futebol do segundo tempo, fez apenas uma das três substituições.

Peruanos comemoram o gol da derrota brasileira em Foxborough

Peruanos comemoram o gol da derrota brasileira em Foxborough (Foto: Timothy A. Clary/AFP)

Dunga não pode ser mais técnico da seleção, como escreveu Bruno Bonsanti na “Trivela”. É uma verdade. Mas quem ocupará seu lugar? Tite já recusou antes e nada indica que tenha mudado de ideia. Os donos da bola no futebol brasileiro, que inclui gente que não sai do país ou que está presa no exterior, não gostam de técnicos estrangeiros. Que perspectiva existe para o time que agora só recebe indiferença da torcida? O cenário hoje é exatamente o mesmo de dois anos atrás, quando acabou o 7 a 1.

Você é um babaca ao usar parte do seu tempo para ver a seleção jogar ou discutir sobre o time, mesmo que na fila do restaurante ou tomando um café durante o trabalho. E eu também, ao escrever a respeito. Neymar tem razão. Somos todos babacas.